“My dear”, a quem Ana Cristina Cesar se dirige, é Heloisa Buarque de Hollanda, professora e amiga da poeta. A carta foi publicada em 1979, em edição artesanal, formato 10×7, sob o título Correspondência completa e a indicação de ser 2a edição. Trata-se, de fato, da primeira. O dado falso não passa de brincadeira da autora.

Rio de Janeiro, agosto de 1979

…bandeira? Ouça muito Roberto: quase chamei você, mas olhei para mim mesmo etc. Já tirei as letras que você pediu. O dia foi laminha. Célia disse: o que importa é…

Cronista de longa e constante carreira nos importantes periódicos do Rio de Janeiro, Rubem Braga, nesta carta, recusa a homenagem que lhe quer fazer o Jornal do Brasil por ocasião do seu aniversário de sessenta anos, em 12 de janeiro de 1973, e conta ao amigo o motivo de sua saída daquele jornal.

Vitória, 26 [de] dezembro [de] 1972

…represália. Um abraço do Rubem Braga P.S.: Acho escrotíssima a escolha do pretexto, revelando a mais sintomática insensibilidade. Arquivo Otto Lara Resende / Acervo IMS. [1] N.S.: Hanna Mining Co.,…

Depois de se formar em direito na Universidade Federal do Rio de Janeiro em 1946, Fernando Sabino viajou para Nova York, onde ficou dois anos como funcionário do escritório comercial do Brasil e do consulado brasileiro. De Nova York, escreve esta carta à sua amiga Clarice Lispector, que morava em Berna, Suíça, acompanhando o marido em sua carreira diplomática.

Nova York, 10 de junho de 1946

…mundo. Que houve um comício no largo da Carioca onde choveu bala sobre os comunistas, mataram um estudante.[3] Que o Rubem Braga vai indo bem. Que num chá que os…

De 1967 a 1969, Otto Lara Resende assumiu a função de adido cultural na Embaixada do Brasil em Portugal, onde recebeu esta carta do amigo Millôr Fernandes.

Rio [de Janeiro], 16 de dezembro de 1967

…vendendo a si próprio e aos amigos na Editora do Autor (Sabiá). Vai acabar numa figueira, o judas, assessorado pelo Rubem Braga. Noutro dia vi os dois fazendo a féria…

Os 80 anos de nascimento de Manuel Bandeira foram largamente comemorados em todo o país. Decio de Almeida Prado, que, 1966, era diretor do “Suplemento Literário” de O Estado de S. Paulo, cargo que exerceu de 1956 a 1967, quis homenagear o Poeta de Pasárgada com um poema que encomendou a outro poeta pernambucano: João Cabral de Melo Neto. Mas o autor de “Morte e vida severina” explica, nesta carta, o porquê de não poder aceitar a tarefa.

Berna, 25 de março de 1966

…Rubem Braga, e desde que o dei por findo não tenho tido cabeça para pensar senão na rotina da Embaixada. Assim, toda homenagem que posso prestar ao bom Manuel, nos…