Do exílio mexicano, entre as saudades do Brasil e a apreensão com relação à saúde, Herbert de Souza, o Betinho, escreve a Otto Lara Resende, que acabara de tomar posse como membro da Academia Brasileira de Letras. Nesse mesmo ano em que escreve ao amigo, Betinho é anistiado pelo governo do general Ernesto Geisel e protagoniza uma chegada emocionante no aeroporto do Galeão, abraçado pelos amigos e pela família.

México, 20 de outubro de 1979

Ottos (desculpe o plágio),

Tenho inveja de você, que é imortal. Gostaria de ter esta condição para voltar ao Brasil, e a razão é muito simples. Depois que voltei ao Brasil por quinze dias fiquei com um medo danado de morrer no Brasil. Creio que nestes últimos 43 anos de hemofílico não me caracterizei exatamente […]

No 31 de outubro, dia em que se comemora o aniversário de Drummond, o Dia D, vale lembrar que há meio século, o poeta, mais que modesto e discreto, não se sentiu à vontade para receber um toca-discos, ou uma eletrola, como se dizia na época, que um grupo de amigos quis lhe dar – é o que revela este bilhete de Cyro dos Anjos.

Rio de Janeiro, outubro de 1956

É sabido que certo cidadão de Itabira, sempre vigilante e gentil para com as comemorações de amigos, se sente mais à vontade quando o deixamos a sós, nas suas próprias comemorações.

Não obstante, um grupo desabusado de velhos cupinchas resolveu rebelar-se desta vez (tranquiliza-te, Carlos, os conspiradores são poucos, não se fez subscrição, não se […]

Colaborador da revista Clima e fundador de Grupo Universitário de Teatro (GUT) na década de 1940, Decio de Almeida Prado começava aí sua trajetória de homem dedicado ao teatro e à crítica teatral. Estava inteiramente impregnado da arte dramática quando escreveu a Cacilda Becker esta carta em que observa o momento de modernização do teatro e destaca a importância da personalidade do ator, que, para ele, se sobrepõe à técnica, por melhor que seja.

[São Paulo, janeiro de 1949]

Você pertence a uma geração teatral mais feliz que as anteriores. Em geral, o destino de cada um de nós está condicionado a uma série de circunstâncias externas. Mas, no teatro, arte escrava de um número tão grande de fatores, inclusive econômicos, arte tão dependente do grande público, arte coletiva poderíamos dizer, isso é ainda […]

Diplomata brasileiro que representou o Brasil com raro fervor, Ribeiro Couto não dissociou a carrière, como gostava de se referir à sua carreira diplomática, da vida pessoal. Nesta carta a um de seus colaboradores, e com o bom humor de sempre, lê-se o testemunho de um espírito tão apaixonado quanto profissional.

Belgrado, 22 de agosto de 1954.

Meu caro Vasco,

Estou escrevendo às quatro da madrugada. Sua carta de doze do corrente me deu grande prazer. Há muito que não tinha notícias suas, mas era evidente que você deveria estar atrapalhado com os habituais incômodos da instalação.

Gostei de saber das suas próximas gravações com o grande Mignone.

Tenho trocado cartas com […]

Em 25 de setembro completam-se 50 anos da morte de Lotta de Macedo Soares, a idealizadora do Aterro do Flamengo. A obra a que Lotta se dedicou com paixão, magnificamente fotografado por Marcel Gautherot, teve projeto urbanístico e arquitetônico de Affonso Reidy e continua símbolo do Rio de Janeiro, tão ou mais icônico do que quando Rachel de Queiroz escreveu esta carta/ crônica.

[Rio de Janeiro], 16 de fevereiro de 1972

Querida Lotta, se no assento etéreo on­de você deve estar, memórias desta vida se consentem, se você vê as coi­sas cá debaixo, há de sentir uma grande alegria contemplando o seu Parque do Flamengo. Sim, o seu Par­que, Lota. Que você inventou, criou, ti­rou daquele aterro bruto, acompanhando-o pedrinha por pedrinha, planta por planta, flor por flor. Todas as suas canseiras, as lutas, a […]