Segundo e último imperador do Brasil, Pedro II de Bragança e Bourbon herdou o trono aos cinco anos de idade, após a abdicação de seu pai, dom Pedro I, e…

…governou até 1831, quando uma crise política o obrigou a deixar o país e renunciar em favor do filho, dom Pedro II. Seria depois rei de Portugal, como Pedro IV….

Figura trágica da monarquia brasileira, Pedro Augusto de Saxe-Coburgo e Bragança foi preparado para suceder ao avô, dom Pedro II. Bonito e culto, mas frágil emocionalmente, esse filho da princesa Leopoldina, que deveria tornar-se dom Pedro III, acompanhou de perto a morte do imperador do Brasil no exílio, em Paris. Seu testemunho pode ser lido nesta carta à tia, a duquesa Alexandrina de Saxe-Coburgo e Gotha. 

Paris, 29 de dezembro de 1891

Pedro II. [2] N.S.: Apelido que a princesa Leopoldina, filha de dom Pedro II e mãe de Pedro Augusto, deu a seu marido, Luís Augusto de Saxe-Coburgo e Gotha (1845-1907)….

Vinicius de Moraes escreveu esta carta para seu único filho homem, Pedro, a quem deixa como legado “a insensatez de um coração constantemente apaixonado” – afirma o poeta nesta espécie de testamento poético-afetivo. O legado, na verdade, se revelaria mais concreto: por ter vivido em estimulante ambiente intelectual e artístico, Pedro desenvolveria seu talento para as artes visuais. Tornou-se fotógrafo e coautor, com o pai, do livro O mergulhador, de 1968, obra que reúne fotos suas e poemas de Vinicius. Outro filho que teve a sorte de receber notável carta do pai foi o pianista Nelson Freire, aqui lida em Afetuosamente, o papai. Contrasta com a dura incumbência que deu Rubem Braga ao filho, Roberto Braga, sobre providências a serem tomadas com a sua morte, aqui disponível em Não ceda aos símbolos da morte.  

Pedro, meu filho… Como eu nunca lutei para deixar-te nada além do amanhã indispensável: um quintal de terra verde onde corra, quem sabe, um córrego pensativo; e nessa terra, um…