Monteiro Lobato e Godofredo Rangel desenvolveram uma intimidade singular por meio da correspondência. Visceralmente literatos, cultivaram discussões epistolares em torno de obras, de tendências estéticas e da vida ao longo de quarenta anos. As cartas, que, como esta de Lobato, na maioria das vezes tratam de literatura, seriam publicadas em A barca de Gleyre (1944).

São Paulo, 15 de novembro de 1904

…Natureza ainda produziu. Bela, fina, elegante… Estes adjetivos já não dizem nada por causa dos abusos do Macuco. Sabe o que é o belo, Rangel? É o que alcança uma…

Entre as discussões epistolares que Monteiro Lobato e Godofredo Rangel trocaram ao longo de quarenta anos, destaca-se a desta carta, a respeito de estilo.

Taubaté, 15 de julho de 1905

…com que pretende escalar o morro da Glória: “O teu estilo é o mais perfeito que ainda apareceu no Brasil?” Rangel, Rangel! Seja um bocadinho mais hipócrita e raspe aquilo….