Pedro Nava era amigo de Manuel Bandeira e médico que cuidou de Fréddy Blank, a mulher que o poeta chamou de “toda a afeição de uma vida”, embora não tenha com ela dividido o mesmo teto. Madame Blank, como era chamada, deixou duas filhas de seu casamento com Carlos Blank: Joanita e Guita. À primeira e a seu marido, Pietr, Nava escreve esta carta contando os detalhes da morte de Manuel Bandeira, ocorrida em 13 de outubro de 1968.

Rio [de Janeiro], 19 de outubro de 1968

Queridos amigos Pietr e Joanita,

Hoje foi a missa de sétimo dia por alma do nos­so bardo, rezada na Candelária. Lá estavam todos os velhos amigos: Graciema, Rodrigo [Melo Franco de Andrade], Prudente [de Morais, Neto], [Gustavo] Capanema, Carlos Drummond, [Jorge] Laclette, Rachel [de Queiroz], Chico Barbosa, Nazareth [Costa], Odilo [Costa Filho] e Di Cavalcanti […]

Publicada em 15 de fevereiro de 1947 na revista O Cruzeiro, esta é uma das centenas de crônicas que a autora de O Quinze escreveu para o periódico ao qual se manteve fiel ao longo de trinta anos. No ano em que escreveu esta carta, Rachel vivia com o segundo marido, Oyama de Macedo, na Cova da Onça, espécie de vale entre o bairro Cocotá e a praia do Barão, na Ilha do Governador.

Ilha [do Governador], 15 de fevereiro de 1947

É umas dessas cartas que exigem resposta — de uma moça de 25  anos chamada Aspásia e que, segundo diz, sabe que vai morrer.

Na verdade são duas coisas díspares: 25 anos e a certeza da morte próxima. Mas afinal quem lhe deu essa certeza? A medida da vida e da morte nunca está na […]

Um mês após a morte do ator e diretor de teatro Antônio Abujamra, apresentador do programa Provocações na TV Cultura, um jovem estudante de jornalismo e seu admirador lhe escreveu esta carta.

[Rio de Janeiro], 28 de maio de 2015

Querido Abu,

Agora já faz um mês desde que você se foi, aos 82. Sabe, estou com saudades.

Não que nos víssemos tão frequentemente assim, que já tenhamos trocado algumas palavras ou realmente nos conhecêssemos. Mas isso não importa. Seus programas de entrevista gravados e colocados no YouTube foram suficientes para passarmos muitas horas juntos, […]

Em 1868, Machado casou com a portuguesa Carolina Augusta Xavier de Novais, irmã de seu amigo e poeta Faustino Xavier de Novais. A morte da mulher, em 20 de outubro de 1904, depois de 35 anos de convivência, lhe inspirou o antológico soneto “A Carolina”. Machado ainda exprimiu a dor da perda nesta carta a Nabuco.

Rio de Janeiro, 20 de novembro de 1904

Meu caro Nabuco,

Tão longe, em outro meio, chegou-lhe a notícia da minha grande desgraça, e você expressou logo a sua simpatia por um telegrama. A única palavra com que lhe agradeci[1] é a mesma que ora lhe mando, não sabendo outra que possa dizer tudo o que sinto e me acabrunha. Foi-se […]

Monteiro Lobato e Godofredo Rangel desenvolveram uma intimidade singular por meio da correspondência. Visceralmente literatos, cultivaram discussões epistolares em torno de obras, de tendências estéticas e da vida ao longo de quarenta anos. As cartas, que, como esta de Lobato, na maioria das vezes tratam de literatura, seriam publicadas em A barca de Gleyre (1944).

São Paulo, 15 de novembro de 1904

É cheio do passado que te escrevo. Imagina que fui ao Rink (coisa que não conheces: patinação) e lá encontrei numa roda de quatro a moça mais bela que a Natureza ainda produziu. Bela, fina, elegante… Estes adjetivos já não dizem nada por cau­sa dos abusos do Macuco. Sabe o que é o belo, Rangel? […]