Jornalista mineiro radicado no Rio de Janeiro, consagrou-se no gênero crônica, em que tratou com leveza temas como o mar, a boêmia carioca e o futebol. A despeito de sua…

Mendes Campos/IMS. Lúcio Rangel, Paulo Mendes Campos, Fernando Lobo e Vinicius de Moraes na Casa Villarino (1956). Acervo Paulo Mendes Campos/IMS   No ano passado, a pandemia não acentuou apenas…

Transplantados de Belo Horizonte para o Rio de Janeiro desde a década de 1940, onde se destacaram no jornalismo carioca, Paulo Mendes Campos e Otto Lara Resende mantiveram-se unidos por toda a vida. Entre 1957 e 1959, quando o segundo esteve como adido cultural do Brasil em Bruxelas, Paulo lhe escrevia cartas ou publicava crônicas, como esta, para se aproximar do amigo.

…por isso que lhe envio o meu fraterno abraço com toda a minha esperança naquela palavra antipática que significa futuro. Crônica “Notícias”, de Paulo Mendes Campos publicada no Diário Carioca,…

Paulo Mendes Campos e muitos escritores de sua geração foram fiéis apreciadores de uísque, presente nos bares cariocas ou nas casas de poetas como Vinicius de Moraes, onde o bom scotch nunca faltava. Esta “Carta de separação” , crônica até hoje inédita em livro, foi publicada na coluna “Primeiro plano”, do Diário Carioca, onde Paulo foi colaborador desde 1946, quando iniciou a coluna semanal “Semana Literária”, até que em 1950 assumisse a coluna diária “Primeiro Plano”, que iria até 1961.

…que, de minha parte, deixa muitas saudades. P. M. C. Crônica de Paulo Mendes Campos publicada no Diário Carioca, Rio de Janeiro, 29/10/1953. Arquivo Paulo Mendes Campos / Acervo IMS….