“Como conseguimos viver tanto tempo sem fax”, pergunta Jorge Amado numa missiva enviada da Bahia, num 2 de fevereiro de 1994 ao “casal lindo” José Saramago e Pilar del Rio. A mensagem carrega um pedido de desculpas pelo corte na comunicação, culpa do aparelho de fax da casa de Salvador, que “pegou fogo e botou […]

Entre os religiosos, não há dúvida: a monja carmelita espanhola Santa Teresa D’Ávila, que viveu no século XVI, ganhou o céu por meio do exercício da oração, pela capacidade de renúncia e, sobretudo, pela absoluta entrega de si mesma ao Cristo. Os ateus, descrentes dessas práticas, mais a conhecem pelo mármore em que Bernini a […]

“Quando eu crescer quero ser numismática”, era o que eu repetia quando pequena. Ficava tão vaidosa em conhecer uma palavra do mundo adulto que nunca me dei conta de que o certo seria dizer numismata. Na verdade, queria ser arqueóloga ou jogadora de futebol, mas quando fiquei sabendo que numismática existia, percebi que a palavra […]

De chato e louco, todos temos um pouco. De gênio, nem todos. A leitura de A perda de si – Cartas de Antonin Artaud reforça que os três adjetivos caem bem no ator e dramaturgo francês (1896-1948).

E ele era chato (buscando incansavelmente a atenção dos que elegia como interlocutores), louco e gênio simultaneamente. Antiburguês […]

Nem mesmo quem privou da intimidade de Nise da Silveira podia imaginar a extensão de seu talento na arte de seduzir. Mas podia desconfiar do fascínio que ela, com muita naturalidade, exercia sobre homens e mulheres, curvados à sua inteligência e graça.

O acadêmico Marco Lucchesi, que no início da década de 1990 era poeta […]