Viúvo da imperatriz Leopoldina desde 1826, dom Pedro I continuava seu romance com Domitila de Castro, a marquesa de Santos, que se mudara de São Paulo para a corte, no Rio de Janeiro. Neste ano de 1827, enquanto o governo brasileiro negociava novo casamento para o imperador, ele combinava com a amante maneiras seguras de encontrá-la.

Rio de Janeiro, 27 de outubro de 1827

Minha querida filha e amiga do coração,

Fala-se pela cidade que eu vou à tua casa, assim o foram dizer ao barão de Mareschal,[1] que mo deu a entender e eu fiz um desen­tendido, falando-lhe muito no casamento, em meu sogro etc. Como poderão por eu não ir hoje à ópera querer tirar […]

Acreditava-se que na noite anterior ao ano-novo os anjos da guarda vinham à Terra para ouvir os pedidos dos seres humanos. O desejo que dona Leopoldina confidenciou a seu anjo seria atendido: ela se casaria com o imperador do Brasil, dom Pedro I, em 1817.

Palácio de Schönbrunn [Viena], 31 de dezembro de 1815

Querido anjo da guarda,

Primeiro quero expressar o meu agradecimento numa oração que Annony me ensinou a fazer: obrigada por 1815, por termos passado este ano com saúde e porque papai não precisou ir à guerra de novo com os seus soldados.

Agora, porém, vamos ao que interessa.

O fato de eu ainda não saber […]

Fundada em Paris em 1534 por Inácio de Loyola e outros seis companheiros, a Companhia de Jesus chegou ao Brasil em 1549, na armada de Tomé de Sousa, o primeiro governador-geral enviado por Portugal. Os jesuítas, chefiados pelo padre Manuel da Nóbrega, tinham a missão de converter os indígenas à fé católica pela catequese e pela instrução.

Salvador, 10 de agosto de 1549

Ao doutor Navarro, mestre em Coimbra,

Gratia et pax Domini Nostri Jesu Christi sit semper nobiscum. Amen.[1]

Pensando eu muitas vezes na graça que o Senhor me fez, mandando-me a estas terras do Brasil para dar princípio ao conheci­mento e louvor do seu santo nome nestas regiões, fico espantado de ter sido para […]

Algum tempo depois do desembarque em terras brasileiras, os jesuítas perceberam que a fundação de escolas era a melhor maneira de formar novos sacerdotes para auxiliar os missionários no trabalho de catequese dos indígenas. O encarregado dessa tarefa foi o padre Manuel da Nóbrega, e, em 1550, foram inaugurados dois colégios: um na Bahia e outro em São Vicente – este deu origem à cidade de São Paulo.

Bahia, 9 de agosto de 1549

Ao padre mestre Simão,

A graça e amor de Nosso Senhor Jesus Cristo seja sempre em nosso favor. Amém.

Pela primeira via escrevi a vossa reverendíssima e aos irmãos largo, e agora tornarei a repetir algumas coisas, ao menos em soma, porque o portador desta, como testemunha de vista, me escusa­rá de me alargar muito, […]

Fundada em Paris em 1534 por Inácio de Loyola e outros seis companheiros, a Companhia de Jesus chegou ao Brasil em 1549 na armada de Tomé de Sousa, o primeiro governador-geral enviado por Portugal. Os jesuítas, chefiados por Manuel da Nóbrega, tinham a missão de converter os indígenas à fé católica pela catequese e pela instrução.

Bahia, [15 de abril de] 1549

Ao padre mestre Simão,

A graça e amor de Nosso Senhor Jesus Cristo seja sempre em nosso favor. Amém.

Depois de ter escrito a vossa reverendíssima, posto que brevemente, segundo meus desejos, sucedeu não se partir a caravela, e deu-me lugar para fazer esta e tornar-lhe a encomendar as ne­cessidades da terra e o aparelho […]